Monthly Archives: Julho 2012

Beira-mar Basquete descontente com ARB

A equipa sénior masculina de basquete Beira-mar da Ribeira Grande, Santo Antão, está descontente com o procedimento da Associação Regional da modalidade (ARB). É que mudaram o calendário do terceiro e último jogo do play-off com a equipa do Porto Novo sem comunicar com antecedência e não marcaram a cova como manda o regulamento.

Segundo a direcção da Beira-mar, a vitória da sua equipa sobre a do Porto Novo Basket no segundo play-off, realizado na passada quarta-feira, 18, na Ribeira Grande, “não agradou os dirigentes da ARB”. É que, justifica, “só no final desse jogo, pelas 19h30, é que nos avisaram que íamos jogar o terceiro play-off no outro dia quinta-feira, na cidade do Porto Novo”.

Para além de mudar o calendário do terceiro e último jogo do play-off, sem comunicar às equipas com antecedência, acrescenta essa direcção, “jogamos o segundo play-off sob protesto, devido ao uso de dois jogadores sem fichas preenchidas, por parte do Porto Novo Basket, que militavam numa outra equipa de São Vicente. O protesto tem um tempo definido no regulamento para ser respondido pela ARB”.

Por esses motivos e devido ao atraso da viatura para transportar a equipa do Beira-mar da Ribeira Grande à Porto Novo, quando eram 19h00 “decidimos não participar no jogo do terceiro play-off, para apurar o campeão de Santo Antão”. Os responsáveis pela equipa dizem estranhar que “as duas equipas – Porto Novo Basket e arbitragem – não compareceram no recinto, mas contudo, marcaram cova. Para nós a campeã é fictícia”, adianta.

Em comunicado avançado pela asemanaonline, o membro da ARB, Carlos Alberto Gomes Lopes, disse que é um direito que assiste ao Beira-mar dizer o que pensam, mas devem fazê-lo com honestidade. “Essas afirmações não correspondem à verdade. É preciso que os atletas e clubes de basquete compreendam que realizar um campeonato dessa modalidade na ilha das montanhas não é fácil, devido à carência de meios”, acrescenta Carlos Lopes.

“Não corresponde à verdade que a equipa do Porto Novo Basket tenha jogado com dois jogadores ilegais, por que não terem as fichas preenchidas, em nenhuma equipa de São Vicente. O protesto do jogo não foi respondido, por que até agora não chegou nenhuma nota a esse respeito à ARB. O calendário do jogo do terceiro play-off foi mudado, por que foram informados, que a equipa campeã de Santo Antão, teria de estar em São Vicente na sexta-feira, 20”, esclarece o membro da ARB.

Carlos Alberto Gomes Lopes apela às quatro equipas de basquete da ilha das montanhas – Beira-mar, Porto Novo Basket, Solpontense e Paulense – a estarem unidas para poderem atingir os objectivos pretendidos. É que “para desenvolver o basquetebol na nossa ilha é preciso muita disciplina, muito diálogo e espírito de responsabilidade dos atletas e dos membros da direcção dos respectivos clubes”.

Fonte: Jornal Asemana online


Nôs ê Puva (Basquetebol na Ribeira Grande)

Tudo igual nos Playoffs de Basquetebol de Santo Antão.

A equipe do Beira Mar orquestrou o segundo jogo dos playoffs, vencendo a equipa do Porto Novo. Com uma defesa apurada e um ataque avassalador os pupilos de “PUVA” não deram qualquer hipótese a equipe adversário que se integrou ao show time ficando-se apenas como expectadores “with free pass”.

Destacou-se os atletas experientes como Natcha, Danilo e Faby e a energia e velocidade dos novos atletas Zé, Willy, Cley, Luda, Leo, e Kevi. Vale ressaltar que, ao contrário do Porto Novo, este projecto conta apenas com 4 semanas de preparação, o que nos faz pensar que não se pode falar em evolução do basquetebol do Porto Novo.

Uma equipa que tanto diz que fez e faz, com a divulgação do excelente basquete no blogue, deixa-se vencer por uma equipa que pouco ou nada se preparou para este campeonato? É, no mínimo, questionável: Que nível é este que tanto se fala? Ou será o blogueiro um bom orador, com um excelente poder de retórica, que não consegue perceber que esta retórica apenas deixa cómoda os seus atletas e não os deixam evoluir com deveria ser? Ou não sabem eles que, humildade é a chave de qualquer evolução?

Se realmente querem evoluir o basquete em Santo Antão, não dêem tiros nos vossos próprios pés. Respeitem o que foi feito outrora (veja este artigo e saiba mais da história do nosso basquetebol) e sobretudo o que está a ser feito agora, tanto em Porto Novo como no resto da ilha. Respeitem o nível dos atletas de forma a se perceber a real qualidade dos mesmos, caso contrário a vergonha no nacional será certamente uma constante.

Não podemos deixar de realçar o treinador da equipa do Porto Novo, Rolando, que ao contrário de muitos na equipa, sabe respeitar o valor do basquete, da evolução, do adversário e sobretudo não põe a carroça a frente dos bois como se teima em fazer com o nosso basquete.

Humildade precisa-se!

Destaque ainda para o público que transformou o Liceu da Ribeira Grande em um verdadeiro caldeirão com gritos e vuvuzelas sobre o lema Nós ê PUVAAAAAAAAAAAAAAAA…