Povoação e o Rap

Rap Povoação

Rap Povoação

 

O Rap nasceu em Povoação através da influência de músicas de rappers americanos, portugueses, franceses, entre outros. Muitos gostavam do ritmo, dos temas críticos e alguns começaram a fazer as suas próprias músicas por se identificarem com o estilo, mas, sempre com a conotação de ser apenas um passatempo. Apesar da música Rap ser muito apreciada em Povoação e culturalmente ser parte do quotidiano dos conterrâneos cidade, especialmente dos mais jovens, ela carece de credibilidade entre os seus próprios apreciadores, ficando na sombra de outros estilos musicais.

Segundo informações directas, os primeiros registos desta arte em Povoação foram feitos por Cartol, Nitcha, Beks, Fanky (rest in peace), Djuna e outros mais, mas o primeiro grupo influente de Rap que surgiu em Povoação foi os Kapahala (2004/2005), composto por Vatik, Janecas, Pey, Tio, Faby, Titita, Papy e Tenche. Esse grupo fez algo inédito em Povoação e em Santo Antão em geral, que foi pôr músicas Rap feitas “na town”* a “rodar” em rádios, tanto em Santo Antão como em São Vicente, com destaque para a música Saturação. Nesta altura, entre 2006 à 2007, surgiu outros grupos, impulsionados pelo sucesso regional e, em parte, nacional dos Kapahala. Como por exemplo McGol (que hoje se identifica como GolBeats), G-Rapperz (Nigga Jó, Djô, Vander, Valdo, Janda, Odá e Deny), Revolucionários (Inaldo, Mc Ni, Kri e Anuda), Chain, entre outros.

E assim se dava início a uma onda de lançamentos de músicas Rap, de forma quase consecutiva, com maior destaque para Sofrimento dum mnine (Mc Gol), Dento dum caixão (G-Rappers), Tude essim (Chain) e Caminhada de fé (Revolucionários) considerados autênticos hits naquela, até então, pequena vila que, paulatinamente, foram fazendo parte dos mp3’s dos seus habitantes, a prova do “fanatismo” daquele povo pelo Rap feito “na town” é o primeiro álbum dos G-Rapperz (Hora d’mudança), inteiramente financiado pelos próprios. O Rap estava em alta, ao ponto que me arrisco a dizer que naquela altura o era o estilo musical mais ouvido em Povoação. Apesar de todo o impacto positivo que o Rap estava a causar, os apoios para o desenvolvimento dessa arte eram e continuam a ser muito escassos.

Apesar de todos aqueles mcs, poucos “sobreviveram” às necessidades da vida e muitos viriam a abandonar o Rap, para se concentrarem nos estudos, no trabalho, na família, visto que, até hoje, o rap em Povoação e em Cabo verde não é fonte de rendimentos sustentáveis, por isso, perfeitamente compreensível aquele comportamento. Assim cairia numa fase menos empolgante, coincidência ou não, mas a verdade é que Povoação acompanhou o Rap nesta “caída”, talvez isto seja um exemplo do impacto causado pelo Rap nesta cidade.

Actualmente o Rap em Povoação parece estar a ganhar uma novo alento com o lançamento do primeiro álbum oficial do GolBeats (One Love), com o lançamento de uma demo tape por parte do “New school”* Indzayz12 e com o anúncio do segundo álbum dos G-Rapperz previsto para o verão de 2011. Hoje posso dizer que Santo Antão é a terceira força do Rap cabo-verdiano, atrás de Santiago e São Vicente, digo isso em termos de número de mcs, em termos de qualidade sou meio suspeito para falar pelas razões óbvias. A prova já foi dada uma vez e pode ser dada novamente. O Rap tem o poder de “ressuscitar” Povoação.

Amaral Fortes


*”Na town” – é uma expressão aculturada do Inglês para o Crioulo, muito usado no meio mais jovem, que, traduzindo para o Português, significa na zona.

*”New school” – Outra expressão aculturada do Inglês para o Crioulo, igualmente muito popular entre os mais jovens, que, traduzindo para o Português, significa Nova era, contextualizando, novo no Rap.


Anúncios

About plurim

Criado para relembrar, reabilitar, recuperar, redescobrir o nosso concelho da Ribeira Grande, Ilha da Santo Antão, Cabo Verde, este blogue terá como propósito enobrecer, por mérito próprio, aquele que nos viu nascer, crescer e tornar em mais um valor nacional, reconhecidos por prós, ignorados por contras. "Quanto maiores são as dificuldades a vencer, maior será a glória." Ver todos os artigos de plurim

6 responses to “Povoação e o Rap

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: