O fim trágico de Santo Antão à vista

 

Concelho da Ribeira Grande, Santo Antão triste

Concelho da Ribeira Grande, Santo Antão - triste

Até quando os nossos olhos teimarão em não ver o que o nosso coração insiste em sentir?

A nossa querida ilha, em particular o nosso concelho da Ribeira Grande, afunda-se a olhos vistos e fica, dia após dia, aquém dos acontecimentos e desenvolvimento de Cabo Verde, em particular e do mundo, em geral.

Santo Antão é a segunda maior ilha de Cabo Verde, com paisagens das mais lindas do mundo, – repito: DO MUNDO – mas, é em contrapartida uma das ilhas mais esquecidas do nosso país, que todos os dias vê a sua juventude abandona-la em detrimento de outras ilhas “mais favoráveis”, onde são criadas condições que permitam qualquer jovem sonhar, afirmar e vingar profissionalmente e não só.

 

Estamos parados no tempo, porque não existe vontade dos dirigentes políticos em traçar prioridades para o desenvolvimento desta maravilhosa ilha.

A meu ver, preocupam-se essencialmente com problemas de resolução imediata que sirvam para enganar os olhos dos cidadãos, por estas serem identificados como grandes fontes de voto. Enquanto isso, lá se vai a nossa ilha no embalo suave rumo ao drama da solidão, no que se refere ao abandono dos jovens e ao consequente aumento da população idosa. Não esquecendo o facto de, ao ser forçada a abandonar a ilha que os viu nascer e crescer e ter um dia sonhado com as condições e oportunidades que alguns têm e nós não, esta população jovem já nem sequer servirá de apoio aos pobres idosos que um dia lutaram para o futuro desta ilha.

Tenho a plena convicção de ser “gente” da mesma forma que os patrícios de outras ilhas, “gente” humilde, “gente” inteligente, “gente” trabalhadora, “gente” que gosta da nossa querida e esquecida ilha, “gente” que sonha ver crescer e ajudar a crescer os quatro cantos de Santo Antão.

Não seria arrogância minha afirmar que os jovens do nosso concelho e ilha, desde sempre, representaram o nível máximo de Q.I. dos quadros cabo-verdianos, pois, quem não conhece “senhores” da ilha das montanhas que são directores, chefes dos inúmeros ministérios, empresários de renome, enfim, detentores de cargos de extrema importância no contexto nacional e não só? Não quero com isso dizer, que os nossos conterrâneos com cargos “menos importantes”, não mereçam destaque no nosso país. Esta afirmação apenas suscita algumas perguntas pertinentes:

1 – Porquê tantos lugares importantes ocupados por pessoas de Santo Antão em Cabo Verde, mas não em Santo Antão?

2 – Porque é que não são criadas condições e políticas que permitam ganhar um pouco de independência em relação a ilha de Santiago, por exemplo?

3 – Porque é que não se criam políticas de desenvolvimento e de incentivos (o homem vive de incentivos) que permitam investimentos de forma segura na nossa ilha, gerando assim emprego e evitando o abandono da população jovem e não só?

4 – Porque é que os detentores de grandes cargos, não reúnem forças e reivindiquem os nossos direitos, já que, de alguma forma, conseguiram algum poder para isso? Ou será que o umbigo do outro é-lhes indiferente?

5 – Porque é que muitos destes detentores de grandes cargos, só se lembram o nome e o caminho de “casa” apenas quando se trata de interesses pessoais (nestes dias correntes, partidários)?

6 – Quem já não ouviu a nossa gente dizer esta célebre frase de tempo de campanha: “kel lá ti te dzê que lê fi de sintonton…!, jal lembrá nem?!, Só na hora de Voto kel te lembrá kel tem casa…”

7 – Porque é que há várias pessoas que pensam como eu, mas não fazem ouvir as suas vozes e unirmos para evitar um fim trágico à vista?

Hamilton R. O. Lima

“O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-caráter, nem dos sem-ética.
O que mais preocupa é o silêncio dos bons.”
Martin Luther King

About plurim

Criado para relembrar, reabilitar, recuperar, redescobrir o nosso concelho da Ribeira Grande, Ilha da Santo Antão, Cabo Verde, este blogue terá como propósito enobrecer, por mérito próprio, aquele que nos viu nascer, crescer e tornar em mais um valor nacional, reconhecidos por prós, ignorados por contras. "Quanto maiores são as dificuldades a vencer, maior será a glória." Ver todos os artigos de plurim

23 responses to “O fim trágico de Santo Antão à vista

  • Totone de Valentina

    Em primeiro lugar quero deixar aqui, bem expresso, os meus parabéns pela iniciativa que tiveram em criarem esse blog «Plurim».Deixa querer que apesar dos pesares ainda existem filhos de RG que se posicionem a frente do «batalhão« para se defender a credibilidade desse tão querido concelho que nôs tud tem na coraçon e quiçá tentar recuperar a sua identidade a muito perdida.

    Devo acrescentar que política sim mas quando há vontade para defender os interesses comuns e não interesses
    pessoais. Infelizmente pelo que muito de nós tem constatado o nosso concelho( vila Ribeira Grande Está a Deus Dará). Por isso prefiro «remar por outras águas.Atenção não estou a por em causa o vosso trabalho. Diga-se de passagem que é de louvar.

    Na minha opinião, deviam focalizar-se mais nos aspectos sociais e culturais do concelho. Aproveitar esse «diamante bruto» que tem muito para lapidar. » A identidade de um povo assenta-se principalmente na sua cultura.O resto vem por acréscimo.
    Um grande abraço desse amigo e filho de Rbera Grende.Totone Valentina

    • plurim

      Olá Totone,
      Concordamos em parte com o que disse.
      Devemos acrescentar apenas que as marés deverão ser remadas conformes a especialidade de cada um. Apostamos nesta, mas não quer dizer que deixamos de apostar no resto.
      Aproveitamos o seu conhecimento na área cultural para o desafiar a dinamizar mais e melhor este diamante. O Totone e qualquer outro com as mesmas pretensões. O importante é não deixar as coisas apenas nas ideias, para que não morram em “águas de bacalhau”.
      Um grande abraço amigo,

      Plurim

  • Leonesa Fortes

    Interessante as varias opiniões aqui expressas e que demandam uma profunda reflexão de todos, independentemente da sua cor ou simpatia politica. Aprofundar questões como o papel do poder local e do poder central, bem como de cada um de nós enquanto cidadãos, parece crucial para esse debate que se quer enriquecedor e que contribua para o crescimento e desenvolvimento de RG a todos os niveis, com destaque para a cidadania responsavel e participativa.
    Espero vir a ter oportunidade de deixar aqui e em separado, a minha opinião sobre cada um dos aspectos apontados. Mas para já só queria deixar um apontamento. Qualquer análise que não tenha em conta o nosso precurso, a nossa história, a nossa evolução e conquistas alcançadas, pecará por superficial e imediatista. No liceu dava-nos mais ou menos a seguinte definição de história: “é a ciência que permite conhecermos o passado para podermos interpretar o presente e projectar o futuro”. Ao ler os varios escritos aqui postados, se calhar nunca como agora, essa definição da história me pareceu ter tanto significado. Apesar de há dias num comicio ter houvido de um candidato de SA, a maior aberração de todos os tempos (não se governa p estatísticas….estatísticas nao tem nenhum valor…), penso ser oportuno iniciarmos essa reflexão com base em alguns dados e indicadores que nos permitam um análise aprofundada de algumas questões fundamentais. Por enquanto deixo-vos aquele abraço e muita força, desejando que esse espaço venha a contribuir para a construção daquilo que em primeira mão falta muito a RG: Diálogo responsavel e sério das questões que afectam o nosso querido concelho. Os meus parabéns a iniciativa e naquilo que eu puder, podem contar comigo.

    • plurim

      Prezada Leonesa Fortes,
      Agradecemos a sua colaboração e a sua disponibilidade em contribuir para levar este projecto adiante!
      Desde já, convidamos à si e à quem tenha a mesma intenção, de escrever e propor-nos novos temas ou mesmo temas relacionados com algum artigo aqui exposto, de forma a estimular o debate, dando assim a projecção desejada, ajudando, desta forma, na “construção daquilo que em primeira mão falta muito a RG: Diálogo responsável e sério das questões que afectam o nosso querido concelho”.

      Sobre este tema, permita-nos uma sugestão, caso venha cumprir o desejo de expor aqui a sua opinião: “Que dê ênfase as questões aqui colocadas, questões essas que a nossa juventude e consequente falta de experiência, não nos permite responder com a devida precisão!” (Pode fazê-lo entrando em contacto connosco através do email na página de contactos ou em Sugestões, na barra superior desta janela)

      O “plurim” terá sempre em conta a “estatística” porque acreditamos ser essencial para qualquer análise que se faça em condições, mesmo sabendo que a análise aos dados pesquisados poderem correr o riscos de estarem corrompidos, ou não corresponderem a realidade por negligência de quem as expõe (tanto o “plurim” como que responda com outros dados), ou qualquer outra questão que suscita o erro humano. Neste sentido, o debate fará jus ao seu efeito essencial, que é sem dúvida, o enriquecimento do conhecimento de quem nela participa.
      Aproveitando esta deixa, gostariamos que consultasse este outro artigo e que désse o seu parecer sobre os dados estatísticos nele mencionados e não só.
      Em nome do futuro de Ribeira Grande, recebemos e agradecemos, uma vez mais, os parabéns e a sua disponibilidade.
      Cordialmente,

      Plurim

  • Alberlima

    Parabens aos mentores deste project.
    Posso dizer que muita coisa vcs tem razão, mas tambem em muitas não,se não vejamos, Santo Antão nestes ultimos anos tem recebido grandes obras estruturantes para o desenvolvimento, desde a educação, a saude, o desenvolvimento da agricultura com o promoção das novas técnologias de irrigaçãocom novo empreendimento esporgo e embalagem o levantamento do embargo de3 santo antão para outras ilhas, o desencravamento das localidades, essas e muito outras que ficou por mencionar na verdade são estruturantes para o desenvolvimento da nossa querida Ilha,
    Na verdade Ribeira grande devido a uma péssima politica que se tem levado a cabo localmente não tem conseguido acompanhar o acelerar do desenvolvimento Nacional. E quanto a isso os Ribeiragrandeses deve estar mais atentos e ter a capacidade de analise do governo local porque nós não merecemos estar nessa posição,com tanto investimento feito nessa ilha.
    Sem demagogia essa é a minha contribuição que tenho para dar ao blog neste momento, espero poder dar muito mais a respeito de Ribeira grande e de Santo Antão.
    Abraços.

    • plurim

      Prezado Alberlima,
      Obrigado pela sua contribuição e disponibilidade!
      Sobre o seu dito, gostaríamos de sugeri-lo, caso tenha disposição e consiga dados para tal, que expusesse aqui os dados que discordassem da opinião do articulista, de forma a fomentar o debate e contribuir para o alcance da verdade da questão, pois acreditamos que, quando mais próximos tivermos dela, Ribeira Grande sairá sempre a ganhar.

      Gostariamos também, que consultasse este outro artigo e que désse o seu parecer sobre os dados estatísticos nele mencionados e não só.
      Em nome do futuro de Ribeira Grande, recebemos e agradecemos, uma vez mais, os parabéns e a sua disponibilidade.
      Cordialmente,

      Plurim

  • Léia

    Dey melhor cosa k bsot faze foi ter criod ess blog pk so assim maltas ta pode abri oi pas oia manera ke real situaçao de nos lugar!!
    tem maltas k sabe d td cosa meriod ê k te passsa ne RªG, ma es te preferi fetcha nao encaral e bri pa ots lugar, ma dess menera la nunca no ti te bem pode progredi.
    Mi m t otcha k ao inves de ess camada jovem estod prei dividid, onde k cada um te puxa p ce serdinha, td es devia junta e faze RªG um cosa so. porque jal ê piknin so essim imagina se bem se maltas resolve dividil mes:
    muf ê JUNTA MON NO INOVA!!!

    • Aníbal Cruz Miranda

      Apoiod Léia. Tamos juntos e misturados nesse luta. Nôs concelho precisa é d gente é kte gostadel de verdade. Mesmo estod longe ma k´te dá se contribuição. Força ai.

  • Délio Leite (Déy)

    Antes de mais, hm cre parabenizá tud kem já comentá ess post, pa bom nível q bzot ti te moderá ess debate. Sinal q respeito ta assima de tudo.
    Comentando o que jam lê até agora, hm te cmeça ta dze o seguinte:
    1 – Hm te concorda 100% ma Bruno, sobretudo por ser um falácia (argumento sem fundamento… so cuns pequenos dados q Liline te uvi ei ou la).
    2 – Independente de poder local ou central, cima nibinha dze na um dej comentário, poder divia estod era na mon de nôs santantonense e não na um minuria (tonte câmara como governo), que ta lá porque POVO (maioria) pos lá. Só que o grande problema eh moda Luther King te dez: “O que mais preocupa é o silêncio dos bons.”, ou seja, se povo uní ces força (tonte na manda boca conde deve ser mandob, não conformá q tud o q alguém dze e sim com aquilo q no te oia e comprová, agi individualmente e não fka sentod ta esperá que alguém de câmara ou governo te bem resolve nos problema, investi e arriscá pa bem de nos lugar – o problema eh q sem condições eh normal bo otxa mut gente q med de perde dnher).
    3 – Adelino, Confirma’m se bo dze isso ou não na kel reunião q no tive na câmara municipal kel dia: “bo dze que, nem kej ponte, nem estradas, nem calçada de terrer… nem ote coisas que câmara fezê, foram coisas de gente fka deslumbrod e sei te dá câmara parabéns, mod era coisas necessárias q nos povo meste e que era més do qui obrigação dej” hm tava la. Sem fala na palma q tud gente dob de bo actuação kel dia, com muita coerência, muito sentido de responsabilidade e de louvar mesmo.
    4 – pergunto: “o quê q fezeb mudá forma de agi e opinião sobre uns determinadas coisas, conde bo te fala de contexto nacional? Já bo tmá fê de bo disparidade conde bo te fala de Camara e conde bo te fala de governo? no divia interessá mes pa desenvolvimento de nos região (porque se cada um preocupa q desenvolve ce região na cabo verde, kel dinamismo de kel TODO – Cabo Verde – só terá a ganhar com isso).
    5 – Qual conhecimento de causa de qualquer um de bzot tem pa fala de Santa Catarina? Se só bzot te uvi fala? Axo q isso eh um czinha de falta de coerência e exigência pa nos própria pessoa e pa nos lugar.
    6 – Porque q eh câmara e governo q tem q resolve nos problema (conde es 2 te trebalha híper mal – tud es com interesses voltod pa VOTOS), se por exemplo, povo podê revolta e sei cum boicote a kel situação de lixo na borboxe, por exemplo? Porque boné de reuni uns pssoas de borboxe (lombo branco), txmá jornais e invadi (mil vez se for preciso) frente de câmara municipal um dia pas pode dá kel situação la prioridade, em vez dum estrada de ribeira grande kej te estraga tud one mod ele foi mal feito e mut dnher na bolso de um minuria???
    Del governo, del câmara eh responsável pa tud cosa mariod q ti te contce na sintonton. Sintonton ta mal e bo tem q oiá isso Liline. Estatisticas não mentem. Enquanto bo te fka te elê notícias sobre Cabo Verde te destaca na mundo em alguns níveis (em relação a muitos países de África continental, se bo subesse manera q la eh, bo tava sinti vergonha de compará), bo ti te eskece que Cabo Verde en nê só PRAIA.

    7 – Bzot sebe já tem tonte dia q nha namorada e nha filho sei de Portugal, rumo a Cabo Verde e nes dia condê kel consegui oiá cê mãe e avô? 10 dias pessoal. 10 dias. Ela djga na CV dia 16, como tinha casamento na sintonton dia 22 (6 dias depois), ele tive q desvia ce rota de São Nicolau mod la tem 1 único viagem por semana? Ele te sei de sintonton ontem dia 25, ele te viaja pa soncente, ele te sei pa sal dia 26 (mod en dem barco) e de sal ele te panha avião pa São Nicolau (mod eh único voo q tem pa SN ne nos terra eh de Sal ermon, e 1 vez por semana tb). Pior de tudo isso, eh q kej gente q tem “amor” a PAI na SN ti te be volta a votá na es. Nem mine de dze q eh Ignorancia não, e sim, falta de esclarecimento. Por isso, bo cum te considera esclarecido, abstraí de cor política e bo esclarece bo Povo (Liline e Nibinha).
    8 – No te na Legislativas… se nos lugar te meriod, no votá contra kem te na poder central. Conde no tiver na autárquicas, contra kem tiver na poder local. Independente de kel bandera de kej partido maltas. Até porque kej símbolo eh tud fei hehehe.
    Um bem haja pa bzot e mas um vez, no abri oi pa tud es lode, mod jam oia q nha voto eh “EM BRANCO” até conde hm tiver Nibinha ma Liline na poder junto na Rbera Grande (falando sério maltas)

  • Suzano Inocencio

    Esses blog podia ser muito mas interessante, p rbera grand, (um lugar k ta fze parte de mim, onde k m fze boas e grandes amizades, nhas tempos de liceu…) se bsot en dava mete politica na ele. e m tem como principio “Entre amigos nao se discuto politica”. abraço a todos

    • Aníbal Cruz Miranda

      Suzano…m te otcha ke Vatick, Janecas e Dey tive esse iniciativa de cria esse blog te pensa na RG na tud aspecto tonte política, desporte, cultura etc. Pa RG e pa mim em particular é k´te ama nha concelho esse espaço já é e ele ti t bem ser muito mas interessante ainda pq ele ti te bem torná nôs voz.
      Se bô repará esse tema bô te oiá k foi introduzi política na meio pq situação q RG tá, tem haver também k política. Abraço. flw.

  • Adelino Rodrigues Fortes

    Pessoal ne politica no tem k espia futuro, kel frase k bo cita ê realidade k no tem hj, no bem espiel;
    Ess betão k tonte no te dze ê futuro de amanha, kel aeroporto de são vivente recebe ne one de 2010 cerca de 193 mil passager, onde k grand nº dess era turistas, ma ess obra ê betão, no bem feze um raciocínio lógico, turista já tchega ne são vicent, jal paga táxi, jal paga bark, jal tchega ne santo antao , jas bei pol ne hotel, depôs jal bei kmê num restaurant, depôs jal bem feze um digressão pe ilha, jal compra um garrafa de água e uns sandes , ell continua, jal tchi pe ribeira grand, onde kel bei kmê la ne cantinho de amizade… ogora dzem multiplica iss pe centenas ou milhares – isso a kel aeroport por ess (turista) kre ê tchega ne sis destino e kel betão la k proporciona isso.
    No tem kel gaz k ê kel condutor de kel corr k já oia ess movimnet de turista te aumenta jal manda um economista fezel um estudo de viabilidade pel pode monta se empresa de transport, log jal ti te da mut troboi…
    Ne kel hotel nunca ess tive tonte turista moda ogora log ess terá k aumenta ses nº de funcionários por demanda ê dmés …
    No tem kel restaurante k antes demanda era pok, hj terá k emprega més gente pel pode ter um serviço de kualidade e pes sis cliente sei tud satisfeito…
    Pe tud ess red ser bastecido no meste de tranport de mercadorias ond k estradas te assumi um grand papel, onde k antes no nn dinha mut camião te feze kel trajeto porto novo corda ribeira grand, ond k ses mutor e trovon tava gasta e não so , hj ê so bo espia nº de camiões ê k te feze ess trajet tud dia kes comercio ti te tem més gente pork procura e demanda ê més…
    No tem kel cais ne port ond k bo té passa te tem navios de cruzeiro, kes navio de carga te passa te tcha log ei ne port, já bo nn di te bei meste paga passagem pe bei tma um tombor vind de merka ou europa, como tb Spencer sis contentor cheio de matarial de construção te vindo direto pe santo antao, sem passagem de bark, sem ajuda de cust e otes cosa més bo empresa te passa te tem menos gastos log longa vida més emprego… isso nn ne governa pe gente, se nn for pe gente ê o k ?
    Por isso MAIS CABO VERDE!

    • natcha

      liline menera q bo t fala t percê q coza t cada dia mior p sintontom e q se dependê d guvern q no tem n CV el t bem cuntinuá t miorá, ma se depende d camara coza te bé piorá. sinceramente bo te querdita n tud kes coza k bo ti t dzê man?? ser sincér man! entom menera q dzempreg n CV ti t aumenta man?? se calhar eh pq maltas t més irresponsavel e es en di t uza cmizinha dret nem?? ou talvez eh pq kes gent ê q t la na camara en kre p situação muda. no txa de partidismo. ja t n ora d CV mudá! pior el en d fcá!

  • Colin Silva

    Espero que haja um consenso para a descentralizaçao e que o proximo governo, seja de qualquer um dos partidos, para que aprovem a regionalizaçao das ilhas, só assim todas as ilhas de Cabo Verde podem desenvolver a um ritmo mais acelerado para nao ficar a espera do governo central, Santo Antão é uma ilha com um forte potencial tanto a nivel d turismo como a nivel de agricultura. Por isso a que pensar mais em Santo Antão porque nao podemos deixar que essa maravilhosa ilha se destrua por causa de politicos irresponsaveis. Tenho dito.

  • Anibal Cruz Miranda

    E Stadio de futebol na ponta de Sol kem da espediente pa relvall???? Problema k bô te vive na RG e por isso bo te dze essim. Porto Novo, São Vicente, Sal até de Santiago….te passa pa mesma situação. Camara de Santa Catarina era de PAICV e JMN fazé tcheu investimente pra la. Até ele transformal na cidade. Ele caba d perde kel camara ele abandonal amoda ele fazé k RG. Associação mim enné contra. Ma só k tem associação e associação.
    Associação sério é aquele é k´tem vários membros onde k cada um te participa, es te corré atras de financiamento, fazé parceria ma empresa e procura apoio de governo. Agora ser financiod exclusivamente pa Governo pa pode tra dividendos político e ainda te dzé pessoas k kela é graças a PAICV é um cosa vergonhoso. É vergonhoso pq kel dnher ka ti te sei de paicv ma sim de bolso d tud gente. Kel calçada, traboi de camara nô sabe manera kele. Ele pode passa tcheu tempo ma es te tchgal na fim e dpos kel fca pronte tud nôs t desfrutadel.
    Questão de kel lixo, mts vezes quem ta d fora pode ter um idea pa resolve kel problema. Pa bem de RG e d kes gente dess zona qual que bô ideia pa resolve esse problema???? É disso k nôs concelho precisa. De pessoas k vontade d participa na se progresso. Pessoas k vontade d dá se contributo. Gente amoda Dey, Janecas, Vatick k iniciativa amoda ess li de abri ess espaço pa nô expô nos opinião.
    Agora se nô bem fca ei te manda boca so pq camara é de PAICV, MPD, UCID ou PTS. Se nô bem fca parod te espera só pa camara fezê. Parod tespera pa governo bem fazê ou alguim milagre kei de ceu entom nem tartaruga se no te pode alcança.
    Por ex. é nós é ktem k fazé um abaixo assinado pa camara pa transforma kel praça Simão Salvador num outro espaço. kem sabe construi “KINTALONA” la outra vez. Só falta iniciativa.
    RIBEIRA GRANDE KEM TEM K FAZEL É NÔS.

  • Adelino Rodrigues Fortes

    http://noticias.sapo.cv/lusa/artigo/12034496.html
    favor bzot da um olhada ness artigo e depos bzot dzem o k bzot otcha dell

    • Anibal Cruz Miranda

      Yah mim jam alel,apesar k tema é situação de Ribeira Grande.
      Oh man ma Africa Ocidental boy. Triste é se nos país estivesse pa tras des e é mas triste ainda k esse proeza ti te ser comparod k kes país la. Países onde k muts des ka tem democracia, milicia é kte manda, é guerra, pobreza, golpe de estod quase tud hora, miseria, doença….. Tamos mal mesmo.

  • Adelino Rodrigues Fortes

    nadas Nibinha…
    premer pork tud camaras des ote ilha te feze, ex: camara de santa catarina ê de mpd, ma ell bei impresta dnher pel feze um grand polidesportiv e ai o k no te dze sobre isso, ess tem dod mut primer pedra aguas te leves log them…, ne 2000 camara de ribeira grand tava recebe cerca de 3mil e tal cont, hj hj ess tem tud mês més de 13 mil cont e ai Nibinha, tud gent ti te pergunta ond kel dnher ti te bei…, ess calçada pergunta bo irmo Meck ell te dzeb, bo seb menera k gent ê k te mora ne Bikim tava passa pe bei pe ses casa? entred ne nha casa pe porta de frent e sai ne kel k t da pa bikim e ai Nibinha? e no entont no tinha tud dia um vareador te companha kel obra…lol (dey bo seb kel fot k bo posta no bo fb, igual) por isso k´m te dze ess te terbaia moda g**** tb, mut associaçao tem estod te feze bons troboi um de kes ê Vale Verde, ess po agua ne fajã de Tanque, ja tem uns par de one k isso foi feito, hj bo tem familias k renda percosa diss…
    kel lixo Nibinha, kes gent ja nn di te pode guenta més, e lembra ei ne Ribeira Grand te pogod taxa de lix e ai Nibinha,
    sobre nhe grand falacia, verdad tem k ser dzid Ribeira Grand tem k respira novos ares, por isso minha gent no espia bzot te oia…

  • plurim

    Não querendo interromper o Debate, deixamos aqui uma pequena reflexão:

    Debate é uma discussão amigável entre duas ou mais pessoas que queiram apenas colocar suas ideias em questão ou discordar das demais, sempre tentando prevalecer a sua própria opinião ou sendo convencido pelas opniões opostas.
    Geralmente debates são longos, e raramente se chega a alguma conclusão, porém, é uma prática considerada saudável onde uma pessoa pode ver vários lados de uma mesma questão.
    Eles não devem ser confundidos com brigas ou amultuações. Geralmente debatentes são concisos e tem em mente a troca de idéias sem que haja ofensas para ambos os lados.
    ASSIM CRESCEREMOS Ribeira Grande

    Saudações

  • Anibal Cruz Miranda

    LILINE esse é um grande inverdade k bô te na ele.
    Ka bô bem pta culpa na Poder Local pq kem abandona RG foi Poder central k ka respeita escolha de gente desse concelho. Man presidente d camara kem te escolhel é munícepes entom munícipes enné obrigod a sofré por causa de briga partidária. Camara tem sê parcela de culpa ma ele só ka ta pode faze RG levanta. Es testod te fazé o kes te pode mediante a sis possibilidade.
    Como é possivel um camara trabalha se na terreno bo tem gente te faze traboi (amoda m****), financiod pa governo e que poderia ser feito pa camara municipal?!?! Como é possível bo tem gente ness cosa tchmod luta contra pobreza k sbi na vida de note pa dia pq governo pôs dnhero na mão pas fazé traboi e es aproveita pa administral na sis bolso e na sis casa?!?!? Como é possível JMN dze k na SA ka ta precisa d ter um Universidade enqt q maioria de maltas tem k sei da la pa ba estuda fora?!?! É desse jeito lá k bô krê pa nôs querido concelho levanta man. Entom nô te fudid.Boy ka bo bem fala de dec de 90 pq amoda bô dzê hoje tempo é outro. Até Jose Maria Neves escreve, assiná e publica na boletim oficial ke 90 foi mt bom pa esse país. Na debate conde Veiga perguntal se ele tinha escrito e assinod ele gagueja, treme e nem ele ka soube o k kel poderia responde.
    Kel Calçada la k bô ti t dze mim ka pode dzeb nada pq mim ka te por dentro, mas tb mim ka tava t´espera k bo poderia fazê elogio. Pelo menos kel d terrer fca baw.
    Kel lixo na barboche…é um problema é, ma só k enné so camara é ktem k resolvel. Sociedade també tem q coloborá. Tendo consciencia ecológico, nô podé pelo menos reduzi kel qtidade d lixo. Mas só que pa ter esse consciencia t depende d diversos fatores kte além d nôs possibilidades. Kês Tchêker nakel vila foi retirod dalá beleza. Mim nha pai aceita pq ele tem se ganhá pão d´ote lode. Tive gente k aceita muda d lugar. Ma só k kes p´ssoa é k´tem tcheker na BP es ka kris aceita nem d´nher e nem muda pq tava fcas mas dificil. Agora m te perguntob num situação desse o k bô te fazé sabendo k nôs concelho tem um pobreza disgraçod e k kes gente lá te contá k kes porkim como um fonte d renda?? Talves bo era capaz d mandas desinrrasca.
    Man mim ka sabê, ma quase bô ka t´estod na lugar. Broda poder económico lugar ja perdel diasá. Pok gent ja la t´estod faz tempo. Enné k construção de arranhaceu k isso ti t bei ser resolvido. Tem engenheria e ne CV tem bons engenheiros e es sabé o k preciso fazé pa leva nôs até la d´cima, ma es sabé qual é k riscos, consequencias disso, custo,vantagem e desvantagens etc e tal.

  • Humberto Bruno Delgado

    m ta bem ser simples pa maior compreensao

    Grande Falacia Adlino;
    principal problema eh politica que no tem na CV,
    ondê que se um partido tiver na poder el ta faze pa kel ot ka desenvolve nada, e infelismente em vez de pssoas bri oi , es ta …fca ness tipo de noia t culpa ess e kel ot.
    ess tipo de pensamento li so ta faze CV fca dividid e cai na falta de carater, jog bosh e mesquinhice.
    se tem algum coza que tem q muda eh pessoas liberta dess pequenes e comeca ta pensa primer em cv. ess esbarrament d PAICV e MPD eh um bokod de ignorancia q ka ta leva a nada ,
    se tem algum coza pa critica eh ess politica de sang suga que ti ta existi na CV ondê q primer eh santiago e dpos o rest. um ilha ta desenvolve na condicoes totalmente desproporcional ao rest.

    Ess q politica q no tem na Praia (ops CV).

  • Adelino Rodrigues Fortes

    Nos principal problema e poder local, tud autarcas no te continua te vota num grupo k te feze só esnera onde k “assistencialista” ê sis principal politica nomeadamente envlop k dnher, c´ment, ferr, blok, ess kre mentê ne poder a todo custo, …gente de Ribeira Grand tem k corda nos nn pod estod te comete mesmo erro 20 one seguid.
    Pe ess lugar bei pe frent no terá k muda ess ator politico dess lugar k ne nhe opiniao feze, ma so k kel politica de anos noventa ja nn ne bemvindo, no te ne ot era ond k desenvolvimento tem k ser sustentavel.
    So tchem enumera uns cosa dess lugar k meste muda:

    1) Câmara de Ribeira Grand tiv um mês te calceta 100 metro de calcada e depos diss ell fka més pior.( de ê k t kmeça la ne Shell ete nhe vitorine)

    2) No tem kel lixo la ne Borboch, kes gent de Planalto Lest nn de seb, hj ja te k doença respiratoria grave ne kel zona… ess tinha dzid k ne meados de Julho a agost de 2010 ess tava kaba kel hj ê 26 Janeiro de 2011…

    3) No tem kes tchêker la ne Boca P´nhon, jas caba k tud kes ness vila ma kes la ta la, mim nn seb pork…

    4) kes calçada ne Ponta de Soll, gent de ponta de soll ja te fort de tonte topada, favor nhes gent no muda ess lugar

    5) Ne Ribeira Grand no tem um plano diretor ou algo parecido ond k um casa nn pode tem més de três piss, ai m te dze daki uns temp no ti te bem perd porder economico pork nos nn di te bem tem gent, no tem k sebi ê pe riba,hj tem engenheria k te pod leva nos ate la de cima, no tcha de ser mediocre no pensa ne futuro…

  • Adelino Rodrigues Fortes

    nos principal problema e poder local, tud autarcas no te continua te vota num grupo k te feze só esnera onde k assistencialista ê sis principal politica nomeadamente envlop k dnher, c´ment, ferr, blok, ess kre mentê ne poder a todo custo, gente te ribeira grand tem k corda nos nn pod estod te comete mesmo erro 20 one seguid.
    Pe ess lugar bei pe frent no terá k muda ess ator politico dess lugar k ne nhe opiniao feze, ma so k kel politica de anos noventa ja nn ne bemvindo, no te ne ot era ond k desenvolvimento tem k ser sustentavel.
    So tchem enumera uns cosa dess lugar k meste muda:

    1) Câmara de Ribeira Grand tiv um mês te calceta 100 metro de calcada e depos diss ell fka més pior.( de ê k t kmeça la ne Shell ete nhe vitorine)

    2) No tem kel lixo la ne Borboch, kes gent de Planalto Lest nn de seb, hj ja te k doença respiratoria grave ne kel zona… ess tinha dzid k ne meados de Julho a agost de 2010 ess tava kaba kel hj ê 26 Janeiro de 2011…

    3) No tem kes tchêker la ne Boca P´nhon, jas caba k tud kes ness vila ma kes la ta la, mim nn seb pork…

    4) kes calçada ne Ponta de Soll, gent de ponta de soll ja te fort de tonte topada, favor nhes gent no muda ess lugar

    5) Ne Ribeira Grand no tem um plano diretor ou algo parecido ond k um casa nn pode tem més de três piss, ai m te dze daki uns temp no ti te bem perd porder economico pork nos nn di te bem tem gent, no tem k sebi ê pe riba,hj tem engenheria k te pod leva nos ate la de cima, no tcha de ser mediocre no pensa ne futuro…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: