PUVA AO RUBRO (tudo é uma questão de conveniência)

Claro que não podia deixar de comentar o acontecimento deste fim-de-semana em Povoação (Puva), ora essa!

Muitos revoltados, muitos cheios de razão, muitos cheios de raiva… o certo é que todos têm razão mas ao mesmo tempo não têm razão nenhuma. Confuso? Vou explicar!

Para quem não sabe, aprovou-se, há pouco tempo, uma lei nacional (definida e votada pelos deputados nacionais eleitos pelo POVO – veja aqui), onde consta que os estabelecimentos de diversão nocturna (bares, discotecas, pubs…) teriam que encerrar o expediente mais cedo do que o costume, tanto nos dias úteis como nos fins-de-semana.
Pois é, quando se fala de “diversão, sabura, paródia, festa…” o POVO enche-se de razão e faz o que fez. Mas quando se fala de outras coisas tão sérias como o entretenimento, como sendo a SEGURANÇA, O RESPEITO, QUEM e COMO os eleitos governam o POVO, SAÚDE, e muitos outras questão (tão importantes como o entretenimento, repito), não se vê e nem se vai ver manifestações desse calibre que aconteceu em Ribeira Grande. Sabem porquê?
Resposta simples: Tudo é uma questão de conveniência, de exibição e sobretudo de aparência. Passo a explicar:
1- Há muito tempo que este nosso Concelho perdeu o sentido de AUTORIDADE, tanto policial como governamental. Não se pune, não se educa, não se dá o exemplo, não se faz coisa nenhuma para justificar o nome “AUTORIDADE”.
2- Quem não sabe o quão impune tem sido a polícia de Povoação com certos delinquentes que constantemente perturbam a vida dos outros nesta localidade? Perguntem a qualquer coitado de PUVA que este saberá vos dar conta de quem falo. Porém, além de nunca terem sido punidos como deveriam ter sido, continuam a desacatar as ordens e a arrumar cada vez mais confusões. Sabem o que isto origina? Precedências. Isso mesmo: “faço, não sou punido, porque não fazer de novo já que apanhei o gostinho da coisa?!”
3- Uma Ordem Policial que até exibe poder apenas quando lhe convêm (sim, têm poder, mas não lhe dão uso sempre, apenas quando convêm) Não pode ter estofo suficiente para usar da palavra ORDEM. Culpados? Muitos suspeitos, poucos condenados! Lembram-se do dia em que foram exibir os equipamentos novos (fardas blindadas, capacetes, escudos, armas novas…), numa festa de jovens que terminou com uma guerra entre pouquíssimas pessoas? Ouvi dizer que as armas usadas para dispersar o povo de ontem não continham balas de borracha?! Há quem tenha até encontrado as balas e guardadas em casa. Será isso verdade?! Eu não descarto tal hipótese, conhecendo o meu riquíssimo país sem justiça tal como o conheço… “não ponho a minha mão no fogo”.

4- Um lugar com uma certa dificuldade em manter os estabelecimentos a funcionar, devido a inúmeros factores negativos que vêm tirando poder de compra dos seus habitantes (factores esses expostos pelo presidente da INE há menos de 1 semana, que deixaram ainda mais preocupados todos os intervenientes desta Ilha), não se percebe como se criam tais leis, aprovam-nas, e sem mais nem menos fazem-se cumprir, como se a minoria da assembleia fosse mais soberana que o povo que os elegeu. Paradoxal, pois não? Não, não é. Isto é fruto da conformidade de todos, sobretudo do povo. O nosso povo só tem força para discutir “paródia, sabura, futebol…”

5- Onde já se viu implementar uma lei e não criar alternativas para as inúmeras lesões que esta mesma lei cria? Mais uma que não me espanta. Foi como criar a nova estrada Porto Novo-Janela, sem preparar alternativas para os moradores das zonas afectas a antiga estrada Porto Novo- Ribeira Grande. Deu no que deu.

“Se não cortam males pelas raízes, esperem para ver o tamanho da árvore”

Eu sou de acordo que deve-se estabelecer limites horários e níveis de perturbação em zonas de caris habitacional sim, até porque quando se trata do nosso sono, somos os primeiros a jogar água quente nas cabeças dos outros. Mas quando não nos convêm… aí fica chato. Porém eu nunca serei a favor da proibição de diversão, quando não criam alternativas, ou seja, quando não se disponibilizam a preparar áreas nocturnas, tal qual existem em todos os lados do mundo, muito menos facilitam a mudança dos comerciantes que até querem contribuir. Quem hoje finge que não sabe que em zonas habitacionais de muitos países civilizados, a partir de determinadas horas não há barulho, porque as pessoas querem acordar “frescos” para mais um dia de trabalho, estas pessoas só falam assim porque as convêm. Em Lisboa, por exemplo, nas zonas onde eu vivi durante 11 anos, nunca ouvi barulho a partir da 00h ou até antes. Mas no Bairro Alto, zona de diversão nocturna, é barulho que se farte. Na avenida 24 de Julho então, nem se fala. Em muitas outras zonas, mesmíssima coisa, dependendo da tipologia das mesmas.
Sabem porque ninguém reclama? Porque têm alternativas. Aí está a diferença.

6- Há muitas vozes revoltadas com esta situação, mas há revoltas e revoltas, convenhamos. Reivindicar queimando pneus no Terreiro às 04h da madrugada? Jogando garrafas nas janelas dos vizinhos que também protestavam um direito deles de DESCANSAR? Protestar aos gritos por toda a vila, numa hora em que a maioria DORME? Quebrar pára-brisas do carro da polícia? Quebrar faróis do carro da polícia?

É, como diz o outro, “com tanta razão, foi meter-se a besta e perdeu-a toda”. Com tantos motivos para ganhar a batalha, entregou-se de mão beijada ao bandido, dando-o razão por não saber agir.

Eu sou a favor da revisão desta lei e da criação de alternativas aos jovens da vila, por isso, deixo aqui algumas sugestões de manifestações pacíficas que sempre deram mais frutos do que actos de vandalismo. Sim porque, quando tínhamos apenas com o que atacar, ao agirmos de forma errada, passamos a estar obrigados a defender de nós próprios. Muita ironia!

Sugestões de protesto:
– Abaixo-assinado – Já que quem elege os poderes políticos é o POVO e que o político é eleito para cuidar do POVO, nada mais certeiro do que juntar um grande número de assinaturas favoráveis ao que se quer protestar, mostrando ao poder político quem é soberano? Cria-se um bom texto expondo a situação e os motivos do protesto e saem-se as ruas colhendo assinaturas. Quem já fez isso em Povoação? Ninguém. Só fazem barulho quando se trata de “paródia”.
– Porque não organizar uma marcha contra tal lei, ou uma corrente humana, já que estão a alegar que é a maioria que não está de acordo? Imaginem só se a maioria for a favor desta lei??? Imaginem??? Como diz os velho ditado: “os incomodados é que se retiram”. Mas eu prefiro acreditar que a maioria é CONTRA O ENCERRAMENTO A TAIS HORÁRIOS SEM SE CRIAREM ALTERNATIVAS, mas e se não for? E se a maioria quiser que Povoação se transforme num DORMITÓRIO, como muitos têm comentado estes dias??? E se… e se….
Muitos SE’s e pouca acção. Vamos mais é protestar com a cabeça e não com o coração, caso contrário vamos perder a razão e não haverá mais solução.
– O voto. Protestem na hora do voto. Ah e tal, são todos iguais, e tal… Minha gente, voto em branco, também é uma forma de protesto. Saibam mais aqui

Sejam coerentes não apenas com aquilo que vos convêm individualmente, e parem para pensar antes de mover acções que afectam uma comunidade inteira.
Ah, já ia me esquecendo: “Os que estão presos, não deram a devida atenção àqueles que já começaram o barulho há muito tempo, porém estão no conforto das suas casas e dos seus Facebooks, mandando vir com tudo e com todos, porém, sabem onde e como agir, portanto, fiquem mais atentos e não deixem ser corrompidos com as ideias dos outros. Pensem e agem com a vossa própria cabeça, porque tal como se viu, estão a pagar um preço muito caro por terem deixado os vossos impulsos falaram mais alto do que a vossa razão.” Que aprendam a lição e venham mais fortes (mentalmente) para ajudar neste e muitos outros protestos que sempre vão ser necessários para acabar com os mandos e desmandos da minoria perversa!

Délio Leite (Déy)

Image

Image


Nôs Cabu Verdi di Fachada (…) DESVIO, FRAUDE, CORRUPÇÃO, CRIME (…)

Imagem

Nem será preciso dizer muito. Apenas acompanhe o racioncínio das notícias que vamos expor de seguida, e tirem as vossas próprias conclusões quanto ao estado do nosso país (CABO VERDE), onde a ganância, a sede de poder, a desigualdade, a falta de compaixão e respeito ao próximo e o mundo da aparência tomou conta dos nossos patrícios. O pior é que para alguns isso é a consequência da evolução, quando é exactamente o contrário – RETROCESSO.

Vejamos:
Corrupção nas Finanças – Cerca de 36 mil contos desviadosImagem
Desvio BCA – Porto Novo – Mais de 100 mil contos desviados

Alfândega do Aeroporto da Praia – Sumiço de 6 mil contos
Desvio na Ribeira Brava – Cerca de 10 mil contos sumidos
Desvios na Caixa Económica de Coculi e Espargos
LANCHA VOADORA (dossier completo em PDF, neste link)

Reflitamos!

– “QUANTO MAIS SUBIMOS, MAIOR SERÁ A QUEDA”
– “O QUE MAIS ME PREOCUPA NÃO É O GRITO DOS MAUS, MAS SIM, O SILÊNCIO DOS BONS”
– “O PIOR CEGO É AQUELE QUE TEIMA EM NÃO QUERER VER”


RESPOSTA DA EQUIPA DO PORTO NOVO BASQUETEBOL SOBRE “A vergonha do Basquetebol em Santo Antão”

Relativamente a esta resposta, vamos respondendo as questões logo a seguir a cada ponto por eles apontado, com uma cor diferente (esta que usamos neste parágrafo que estão a ler – azul). Será esta a nossa resposta.

RESPOSTA DO PORTO NOVO BASQUETEBOL (PNB)

PNB: Já que Porto Novo Basquetebol Clube foi visado neste panfleto, intitulado “VERGONHA NO BASQUETEBOL EM SANTO ANTÃO”, gostaríamos de prestar alguns agradecimentos, esperando que, desta vez, os nossos comentários sejam publicados no v/blog.

PLURIM: Acho que queria dizer “esclarecimentos” em vez de “agradecimentos”. Desejo aceite. Esta aqui a publicação do vosso comentário e está também aceita no outro post. Vejam lá e confiram que não alteramos nada do que estes senhores diseram.

PNB: Mas, antes de começar, informamos (talvez não saibam) que, este sábado, 17 de Maio, iniciou-se o campeonato júnior de basquetebol de Santo Antão. Essa sim, é a nossa grande preocupação do Porto Novo Basket. A formação. Só assim, a modalidade poderá desenvolver-se.

PLURIM: Este sábado foi 18 de Maio. Não encurtemos os dias por favor! Estamos atentos, como disse.

PNB: O n/Clube renasceu em 2010 e a primeira coisa que fez foi criar uma escola de basquetebol, reconhecida pela Direcção-geral dos Desportos, que trabalha com cerca de 60 crianças e jovens. Na Cidade da Povoação, há escola de basquetebol? Vocês estão preocupados com isso? Não me parece.

PLURIM: Este é o vosso mal. Agem sempre com esta atitude medíocre de BAIRRISMO. Porque não enaltece, puro e simplesmente, o vosso trabalho e deixe de se comparar com o que nem sequer sabe?

PNB: Quanto a esta nota, lamentamos que o articulista tenha faltado tanto à verdade, como o fito de confundir as pessoas.

PLURIM: Vamos as verdades!

1 – PNB: Fomos convidados, em Fevereiro, para um único jogo particular com uma tal Bomba Team. Embora sejamos uma instituição, com credibilidade (perguntem lá à DGD, por exemplo), aceitamos sim, mas pedimos que jogássemos no polivalente David Fortes e não no Liceu Suzete Delgado, por razões de segurança. É que, talvez o articulista não saiba, já na época passada, houve atletas nossos agredidos no pátio desse liceu.

PLURIM: mais mentiras. Convidamos 1 vez, aceitaram sim, e esperamos até o dia do jogo, dia este que tivemos que enviar uma mensagem telefónica para o sr. Jaime (temos ainda a msg como prova, e o dia que foi enviada – quarta feira do dia 6 de março de 2013, a pedir a confirmação do jogo), que só nos respondeu no sábado (dia do jogo, através do Facebook). Quanta seriedade não é sr. Jaime.

2 – PNB: Por isso, a pessoa que elaborou este texto foi pouco séria, ao faltar à verdade de forma descarada.

PLURIM: contra factos não há argumentos, meus caros.

Sem falar que, insistimos com o convite, mesmo tendo sido recusado uma vez, porque eles não quiseram jogar no nosso campo. É esta a verdade.

Agora vejamos: A equipa do PORTO NOVO é quem escolhe o CAMPO do adversário para jogar? Eles alegam falta de segurança, porque no ano passado jogaram com a equipa do Beira-mar, e tiveram problema de segurança. Este ano, recebem o convite da equipa do BOMBA, com outros dirigentes, outros jogadores, e não querem porque a equipa do Beira-mar fez asneiras? 

Expliquem-me lá isso porque estou confuso!

E mais, até o nosso convite foi acompanhado com a promessa de levarmos policiamento para o recinto, porque somos sérios e levamos em conta a reclamação deles. E Agora sr. Jaime, qual a desculpa ou a inverdade que o sr. vai inventar agora?

Sem falar que o polivalente que jogamos no Porto Novo não tem condições nenhumas para jogar, o campo não obedece o regulamento da Fiba, a linha final é muito próxima ao Aro, mas mesmo assim, nunca exigimos nada a esse respeito. 

Só percebo a vossa atitude de 2 maneiras: 1 – Porque sabem que é lá o nosso campo e jogamos melhor lá, porque treinamos lá. Dai a importância do factor CASA para qualquer equipa. Ou, 2 – Porque com tanto esforço que faz pelo basquete em Santo Antão, o poder subiu-lhe a cabeça e acha que deve mandar e desmandar como lhe apetece. Mas não o fará, porque não permitiremos.

3  – PNB: Uma outra mentira. Quanto ao campeonato sénior, fomos contactados pelo senhor Carlos Lopes na quinta-feira à noite, dia 16 de Maio. Antes disso, nos tinha informado que, ao que tudo indicava, esta temporada não haveria campeonato. Segundo ele, seria uma forma de levar a Federação Cabo-verdiana de Basquetebol a prestar mais atenção para a modalidade na ilha das montanhas. Ele vinha alegando falta de recursos para realizar as provas.

PLURIM: Mais uma vez, a encurtar dias. Meus srs. dia 16 de Maio foi Quarta feira e não Quinta. Menos 1 dia nas suas contas. Se fossemos ver pelo dias que os srs. apontam nesta nota, seriam 2 dias tal como nós. Porém, ainda bem que a verdade tarde mas nunca falha. Veja lá, de 15 (quinta-feira) até 18 (Sábado), são 4 dias meus senhores. 

Se esta é a sua forma séria de trabalhar, digo-vos que não condiz com a nossa forma séria de RESPEITAR O ADVERSÁRIO mesmo fora do campo. Era isso que deveriam ter feito, antes de anunciar com tanta certeza o arranque, sem antes ouvir o adversário a respeito, sem saber se iámos ou não participar. Se os srs. têm que falar com os seus atletas sobre isso, porque será que nós não teremos esse direito de falar com os nossos? Intransigência, será? Se querem levar este basquete a brincar, não contem connosco.

4 – PNB: Depois, nos informou que havia condições para a realização do campeonato júnior, que deveria ter começado no dia 11 de Maio, mas foi adiado para 18 de Maio.

5 – PNB: Como dissemos, na quinta-feira à noite, fomos contactados pelo senhor Carlos Lopes que nos informou que campeonato sénior iria também começar este sábado, dia 18 de Maio. Uma vez que estamos muito atrasados, decidimos falar com os jogadores sobre a necessidade de avançarmos, para que Santo Antão não fique de fora das provas nacionais.

PLURIM: Mais vale ficar de fora do que andar por ai a brinca com o TEMPO dos outros. Vocês acham que os nossos atletas não têm nada que fazer da vida? São todos trabalhadores, têm um patrão que os dá dispensa, têm família, têm uma vida para cuidar. Acham que não devem ser contactados antes de partiram para uma aventura que nem sequer ganham para o sustento das suas vidas? Tenham mais respeito com o TEMPO dos outros! É o mínimo que pedimos. Se não conseguem, não façam. Deixem para quem consegue.

6 – PNB: Portanto, uma outra inverdade e uma irresponsabilidade, dizer que já sabíamos, há já algum tempo, acerca do arranque do campeonato sénior.

PLURIM: 4 dias é mais do que 2. Ainda bem que são vocês mesmos que mostram quem diz inverdades.

7 – PNB: Quanto ao play-off do ano passado, esclarecemos que no segundo jogo foi acordado que o terceiro, e último, jogo seria logo no dia seguinte, na Cidade do Porto Novo, já que a equipa campeã tinha de viajar para Praia dois dias depois. Acontece, meus caros, é que a equipa da Povoação faltou ao jogo (a grande verdade), como já fez feito, muitas e muitas vezes, durante esses anos todos. O objectivo é apenas boicotar, como fez este sábado.

PLURIM: Como disse, os nossos atletas têm VIDA própria. Se não aceitarem o que o sr. Jaime e a associação querem, são puro e simplesmente banidos, como de resto disse o sr. Carlos há 2 dias atrás: “se não jogarem, já perderam”. 

Será boicote ou obrigarnos a boicotar com estas soluções implacáveis que só temos uma única resposta a dar?

8 – PNB: Quanto à seriedade no basquetebol, é só perguntar qual tem sido a postura do Porto Novo Basket e dos seus dirigentes nesses anos todos. Somos a única equipa que todos os anos faz a inscrição como o regulamento manda. Somos a única equipa que paga as taxas de inscrição (só ver os relatórios da Associação). Somos a única equipa que joga devidamente uniformizado e cumpre os horários. Aliás, já fomos até felicitados por elementos da v/equipa.

PLURIM: Meus srs. a equipa de BOMBA, iria participar pela segunda vez no campeonato regional de Santo Antão, este ano (2013). A outra participação é datada do ano 2001. Não percebo o que dizem quanto a taxas de inscrição, uniformes, horários (…) se nunca participamos contra a vossa equipa? Expliquemx-se por favor. Acho que existem fantasmas que os perturbam. Ttatem de se livrar deles ou então não os deitem sobre a vida dos outros.

9 – PNB: Por isso, perguntem lá que são as equipas que jogos todos os anos jogam, sem a devida inscrição. Que são as equipas que só aprecem para jogar quando lhes apetecem? Que são as equipas que abandonam os jogos, sem o mínimo respeito pelos adversários.

De certeza que não é Porto Novo Basket.

PLURIM: de Certeza não é BOMBA BASQUETEBOL TEAM, afilhada no ROSARIENSE FUTEBOL CLUBE. De certeza que não.

10 – PNB: E já agora, em relação a fichas de jogos, todos os anos temos que, também, fazer cópias e mais cópias. Pergunte à Associação de que cores são as nossas fichas? Em todo o caso, estamos          preocupados com coisas maiores.

PLURIM: Uma associação que nem fichas copiadas (quanto custa uma copia?) consegue dar as equipas, imagina em que mãos estamos.

11 – PNB: Quanto à Associação Regional de Basquetebol, sempre estivemos preocupados com o seu funcionamento, que deixa, efectivamente, muito a desejar. Quantas reuniões já fazemos, como a presença da DGD e do Núcleo do Desporto de Santo Antão, na tentativa pôr essa estrutura a funcionar. Tentativas essas que a v/equipa sempre ignorou, diga-se de passagem.

12 – PNB: Pergunte lá ao sr Adelino, quanto tempo permaneceu na Associação, quando foi eleito presidente da Direcção: um mês apenas.

PLURIM: Perguntem vocês ao Adelino. Ele terá a resposta para vocês.

13 – PNB: Para terminar, informamos que, também, no Porto Novo, não há apoios nem patrocínio de lado nenhum. Somos, igualmente, pura e simplesmente ignorados.

PLURIM: Seria mais benéfico juntar todos em prol de uma causa única do que ficar aqui nestes mandos e desmandos, desrespeitando o adversário e mantendo essa atitude bairrista que só nos trará piores resultados. 

A UNIÃO FAZ A FORÇA, meus caros.

PNB: Ficamos por enquanto, por aqui, na esperança de ver publicado este texto.

Cidade do Porto Novo, 18 de Maio de 2013.

A Direcção do Porto Novo Basquetebol


A VERGONHA DO BASQUETE EM SANTO ANTÃO

ImagemO basquetebol, tal como qualquer coisa que se queira fazer acontecer em Santo Antão, morre sempre de sede a beira da fonte. Se não vejamos:

– Reunimos esforços para reorganizar uma equipa de basquetebol em Ribeira Grande, fizemos N treinos, N palestras, N cartas de pedidos de patrocínio (zero retorno), pagamos para pôr luz no Liceu porque não há mais espaços de treino na vila/cidade, corrigimos parte do piso danificado do Liceu, enfim, fizemos N tudo para conseguir reaver um pouco da glória que o basquetebol teve outrora na vila. Resultado: Ou estamos a perder tempo por puro prazer de fazer coisas desnecessárias, ou nos levaram pouco a sério, ou é assim mesmo que o maldito fenómeno do COMODISMO funciona na nossa maldita vila/cidade.

– Fizemos vários contactos com a equipa do Porto Novo, para que fizéssemos alguns jogos de preparação antes do campeonato regional, de forma que a equipa vencedora fosse para o campeonato nacional com um melhor preparo. Resultado: Muitas vezes ignorados, sobretudo pelo representante da equipa convidada, que após confirmar a presença, puro e simplesmente nos deixou a espera até que no dia do jogo resolvemos liga-los, eis que nos surpreendem com a decisão da não comparência, decisão essa que tinha sido tomada dias antes (aconteceu 3 vezes seguidas, depois disso só nos restou desistir de dar muros em ponta de faca). Mas que falta de seriedade e respeito para com os outros!!!

– Aparece depois, o representante do Associação Regional de Basquetebol, o Sr. Carlos (mais conhecido por Cerimónia), a pedirmos apoio para a reorganização do basquete na vila e que juntos fizéssemos de tudo para que arrancasse o tão desejado campeonato, bla bla bla. Reunimos com este senhor, pusemos todas as nossas questões na mesa. Este nos ofereceu um único boletim de inscrição dos atletas e deixou-nos a incumbência de fotocopiar os restantes (Que bela forma de trabalhar).  Duas Semanas depois, veio este senhor nos avisar que o campeonato ia ter início 2 dias depois de recebermos a primeira informação sobre o dito campeonato. Quanta falta de bom senso, minha gente.

As perguntas que não querem calar:

1 – Até quando vamos andar a brincar de jogos de criança e não levarmos as coisas a sério em Santo Antão?

2 – Porque será que a equipa do Porto Novo, anuncia dias antes o início do Campeonato, sem sequer as equipas adversárias saberem quando e nem sequer terem dito que vão participar? Muito estranho o que eles sabem e nós não. Muito estranho…
“Não repitam a asneira do ano anterior, porque este ano já estamos preparados!
Ah, não sabem o que aconteceu no ano anterior?
Relembramos:
Jogamos um Playoff de 3 jogos. Perdemos 1, Ganhamos outro… Porém, o jogo de desempate, foi marcado também acima da hora, com vários atletas nossos a não poderem participar devido a não dispensa do trabalho, ou seja, não tínhamos atletas para o jogo que só soubemos a data, 2 dias antes do seu início do mesmo. Resultado: perdemos por falta de comparência. Pior, a equipa do Porto Novo levou para o campeonato Nacional um jogador que tinha jogado o campeonato regional em outra equipa do mesmo campeonato que a equipa do Porto Novo. Estranho? Não, estúpido.

3 – Esta é de rir: Sabem o que nos disse hoje o Sr. Carlos? Disse-nos que, se não jogarmos amanhã, considerar-se-á que perdemos o jogo, novamente. É mesmo minha gente. Nem sequer estamos inscritos no campeonato que já perdemos, porém esperam por nós amanhã (não consigo parar de rir), nenhum atleta tem a ficha preenchida porque não sabíamos nada de concreto sobre campeonato algum, enfim, sem saber de nada, já perdemos. Não é para rir?

Para verem como funcionam as coisas em Santo Antão, já temos campeão (A Equipa do Porto Novo, dirigida pelo sr. Jaime), com o campeonato que começa amanhã, sem equipas inscritas.

Vejam a tamanha seriedade das pessoas que dirigem coisas sérias nesta Ilha.

A brincar a brincar é que as coisas estão e hão de continuar cada vez mais podres e tristes.

Atenção: Este post foi escrito hoje, sexta-feira, dia 17 de Maio de 2013, ou seja, 1 dia antes de já termos perdido o jogo.

Aos indignados, como nós da equipa do Rosariense, pedimos que nos ajudem a divulgar esta barbaridade que está prestes a acontecer.

Como dizia o outro:

“O QUE MAIS ME PREOCUPA NÃO É O GRITO DOS MAUS, MAS SIM O SILÊNCIO DOS BONS”

Saudações Desportivas!


Sua Majestade


G-Rapperz apresenta album “Kastel d´Karta”

00-Kapa

O grupo de Rap  G-rapperz (Nigga Jó; Djô a.k.a Psico; Nigga Elzo; Oda a.k.a Fu2; Jandir a.k.a JM; Nigga Diu; Nigga Valde; Vander a.k.a Straten;  Isaias a.k.a Indzayz) fará a apresentação do Album Kastel d´Karta sabádo, dia 8 de Dezembro  no Cinema em Povoação.

A festa de apresentação  do novo  album ainda terá como convidado especial o grupo In The Air.  A animação da noite será  por conta do Dj Letra, Dj PeterDj Yof.


Escolhe o seu preferido

A FIFA  já elegeu os três finalistas a bola 2012: Cristiano Ronaldo, Messi e Inesta. E para você , quem é o melhor?